• Breno Berman

Inteligência artificial: como ela atinge o e-commerce?

A inteligência artificial veio para ficar, e com ela vieram grandes mudanças para o universo e-commerce. Essa inteligência é antiga, e os estudiosos John Hopfield e David Rumelhart apresentaram boas técnicas de “deep learning” que permitiram uma solução aos computadores. O objetivo foi acelerar o aprendizado.



Edward Feigenbaum foi um informático estadunidense, entusiasta e estudioso de inteligência artificial, é reconhecido como pai dos sistemas especialistas, apresentou sua criação que simulava tomadas de decisões humanas. E em 1997, Gary Kasparov foi derrotado pelo Deep Blue da IBM, um programa de computador que joga xadrez.


Analogamente, Cynthia Breazeal foi uma cientista norte-americana que ficou conhecida por desenvolver o Kismet, um robô que conseguia reconhecer e demonstrar emoções. Em 2016, também participou do programa Alpha Go do Google, especialista em Go Lee Se-dol. Em 2017, Libratus, supercomputador jogador de pôquer derrotou os melhores jogadores humanos.

A inteligência artificial já está presente nos mais diversos detalhes do nosso dia a dia.

E para o e-commerce, qual de fato será a mudança?

Nos e-commerces, as ferramentas de inteligência artificial já estão em alta e, às vezes, as utilizamos sem nem perceber. Existem comandos que funcionam para detectar spam, excluir comentários falsos e recomendar produtos ou postagens para aumentar o envolvimento do consumidor. Nesse sentido, se formos comparar a operação de uma empresa que possui IA e uma que não a utiliza, a diferença é clara.


Existem diversos tipos de inteligência artificial para e-commerce. O que eles possuem em comum é o objetivo de trazer resultados com muito mais agilidade e praticidade para o cliente e para a loja. São fatores facilitadores tanto para quem vende quanto para quem compra. A IA lê dados e os repassa, conforme programado, para o consumidor final e o e-commerce.


Um case de sucesso envolvendo inteligência artificial é o Carrefour em 2020. Através da aplicação de softwares para analisar os KPIs com mais facilidade e o desenvolvimento de serviços como a CARINA, uma espécie de assistente digital para o consumidor, as vendas do marketplace cresceram 61,7% comparadas ao mesmo período de 2019, representando 21,6% do GMV total no terceiro trimestre.


Dois exemplos muito funcionais da revolução digital causada pela entrada da inteligência artificial nos e-commerces são os mecanismos de recomendação inteligente e os pop-ups de retenção.


Recomendação inteligente

A inteligência artificial online pode ser utilizada para a criação de vitrines personalizadas para o usuário. Com base no levantamento de dados como histórico de compra, comportamento de navegação, heatmap e informações demográficas, é possível oferecer produtos com maior potencial de conversão para cada usuário.


Portanto, a IA faz muito mais do que aumentar o volume de vendas. O uso de recomendações transforma a jornada de compra em seu e-commerce e cria experiências únicas e personalizadas para o usuário. Da mesma forma, é a oportunidade de aumentar a taxa de fidelização da sua loja online.

Pop ups de retenção

No caso dos pop-ups de retenção, o objetivo é usar inteligência artificial para identificar o comportamento de navegação do seu consumidor. Assim, através das informações obtidas, pode ser estabelecida uma comunicação positiva com o consumidor, evitando abandonos de carrinhos.


Os pop-ups de retenção geralmente são exibidos quando o cliente está prestes a abandonar o carrinho de compras ou trocar de aba em seu navegador. Nesse sentido, as táticas mais comuns são utilizar calls to action informando sobre frete grátis ou possíveis descontos.


Inteligência artificial aproxima o consumidor da sua marca

Com a inteligência artificial, e-commerces agora oferecem assistências 24 horas e atendimento personalizado, quantos dias da semana forem necessários, utilizando os chatbots. Em outros tempos, chatbots apenas ofereciam respostas habituais, mas agora eles se transformaram em seres inteligentes que entendem todas as questões dos consumidores.


Outra aplicação de IA é a recuperação de carrinhos abandonados. Com a utilização de e-mail marketing, é possível identificar esses casos e oferecer conteúdos personalizados para a caixa de entrada daquele consumidor. Uma chance de reverter o abandono e conseguir a conversão.


Dentre as principais vantagens de utilizar inteligência artificial no e-commerce, estão:

  • Um bom atendimento e personalizado;

  • Automatização da experiência de atendimento;

  • Envio de e-mails e respostas automáticas com base nas interações e informações dos clientes;

  • Levantamento de dados de consumidores que possuem argumentos sobre sua marca;

  • Redução de custos automatizando operações;

  • Análise de comportamento de clientes.

Em suma, a IA trará um verdadeiro impacto em seu e-commerce. As variações e as possibilidades de crescimento são inúmeras. Procure por empresas parceiras que facilitarão a implementação da inteligência artificial em seu e-commerce e saia na frente da concorrência. Comece mensurando dados e identificando gaps na sua jornada para descobrir onde essa nova tecnologia melhor pode agir em sua loja online.


O seu e-commerce já trabalha com inteligência artificial? Comente aqui quais as principais diferenças que sentiu após sua implementação.

3 visualizações0 comentário

Acompanhe as tendências do nosso mercado

Gostou dos nossos artigos? A Biso te ajuda a transformar tudo isso em realidade!
Fale com o nosso time de especialistas